Skip to content

STOLEN MOMENTS: RED HOT AND COOL

maio 29, 2013

No início dos anos 90 o jazz tinha conseguido reconquistar seu espaço. Não com a mesma popularidade que desfrutou durante as décadas de 30, 40 e 50, mas a retomada do jazz no meio dos anos 80, com o surgimento da geração Young Lions, foi o renascimento de um ritmo que perdeu território durante toda a década de 70.

Outro fator que fez o jazz voltar às manchetes foi o aparecimento do movimento acid jazz, que trazia a fusão entre jazz, funk, soul e o hip hop. Assim como aconteceu com o fusion jazz, os ouvintes mais tradicionais torceram o nariz para a novidade, mas este novo som conquistou muitos adeptos, em especial entre os mais jovens.

Na ocasião, dezenas de discos chegaram ao mercado, mas poucos deles mereciam a devida atenção. Entre eles está a coletânea Stolen Moments: Red Hot and Cool. O disco faz parte da série Red Hot, organização criada em 1991, com o objetivo de arrecadar dinheiro para as pesquisas contra a Aids. Em resumo, ao comprar este disco, você ajudará milhares de pessoas ao redor do globo e ainda terá em mãos um precioso documento do que foi o acid jazz.

O CD abre com um das mais importantes figuras do acid jazz, o rapper norte-americano Guru, que lançou em 1991 o aclamado disco Jazzmatazz. Ao lado do experiente trompetista Donald Byrd e do guitarrista inglês Ronny Jordan, ele canta “Time Is Moving On”. O clima hip hop continua com o rapper francês MC Solaar na companhia do veterano baixista Ron Cater, em “Um Ange En Danger”; com o trio Digable Planets, ao lado do trompetista Lester Bowie e do guitarrista Wah Wah Watson, em “Flyin’High In The Brooklyn Sky”; e do grupo The Roots, em parceria com o vibrafonista Roy Ayers, em “Proceed II”.

Para quem não é muito chegado ao hip hop, o disco ainda guarda outros grandes encontros. Escute a faixa “Nocturnal Sunshine”, com a baixista e vocalista Me’Shell NdegéOcello e o pianista Herbie Hancock. É uma levada soul matadora. Na mesma levada vem os ingleses do Incognito, com Carleen Anderson no vocal e Ramsey Lewis no piano, em “Trouble Don’t Last Always”. Outro destaque é grupo japonês United Future Oganization, com a instrumental “Stolen Moments”.

O acid jazz volta à tona com o US3 e o saxofonista Joshua Redman, em “The Scream”, e os nova-iorquinos do Groove Collection, ao lado do ex-Parliament Bernie Worrell, em “Rent Strike”. O disco fecha com a piração “This is Madness”, liderada pelo duo Umar Bin Hassan e Abiodun Oyewole, do trio Last Poets, e o sax de Pharaoh Sanders, e “Apprehension”, com o trompete de Don Cherry.

http://www.sobresites.com/jazz/dicascd/stolen_moments.html

Anúncios

From → Uncategorized

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: